JURA EM PROSA E VERSO

 

MAÇONARIA

 

 

Paradigmas Renascentista e Iluminista

 
É importante o estudo dos assuntos seguintes:



1. Paradigma Renascentista;
2. Paradigma Iluminista.


Uma visão desses assuntos é fundamental para entendermos a Maçonaria e o Rito Moderno. O texto a seguir é apenas um tira gosto para o nosso estudo. É importante que todos pesquisem, estudem para poder dar sua contribuição.


PARADIGMAS são sistemas de crenças, valores e concepções compartilhados por uma determinada comunidade. Quando falamos em paradigma renascentista estamos nos referindo ao período da História, em que a Europa sai da escuridão e ingressa na Idade Moderna. Nesse período grandes nomes e clássicos da antiguidade são restaurados e novamente reverenciados. Além disso, surgem grandes nomes e grandes ideias. Assim, temos: Galileu, Leonardo da Vinci, Giordano Bruno, Shakspeare e tanto outros.


No século XVIII, a Maçonaria se torna especulativa (1717) influenciada tanto pelo paradigma hermético-renascentista como pelo iluminismo. Vários grupos e Ordens de cunho hermético vão ter grande influência na formação da moderna Maçonaria. Ritos e Mitos das antigas civilizações do Oriente Médio e do Mundo Clássico (Grécia e Roma), além de elementos doutrinários e simbólicos da cabala, da alquimia, da numerologia são incorporados pela Maçonaria Especulativa.


Além disso, não podemos esquecer a visão teológica dogmática, da época, que também tem forte influência sobre a Maçonaria nascida a partir de 1717. É a força e a influência da Igreja, principalmente da Anglicana, na Inglaterra. Daí o teísmo da maioria dos Ritos Maçônicos. Ou seja, a idéia da existência de um Deus único e que se manifesta e revela na História dos Homens.


Já o paradigma iluminista dá uma outra tonalidade à Maçonaria nascente.


Podemos entender o iluminismo como um movimento filosófico nascido no século XVIII e que se desenvolve particularmente na França, Alemanha e Inglaterra, cuja característica marcante é a defesa da ciência e da racionalidade, contra a fé, a superstição e o dogma religioso.


Como no plano político o iluminismo vem defender as liberdades individuais e os direitos do cidadão contra o autoritarismo e o abuso do poder não é difícil entender as grandes revoluções que vão pouco a pouco explodindo na França e nas Américas. Assim, o iluminismo vem fornecer um arcabouço ideológico aos movimentos liberais e revolucionários que vão dar origem à Revolução Francesa, à Revolução Americana e às lutas de Independência da América Latina.


Não foi propriamente a Maçonaria que fez essas revoluções, mas apenas pelo fato de conviver e compartilhar com as mesmas idéias e ideais iluministas é que ela, através dos seus membros, vai ter uma participação marcante em todas as lutas de libertação na Europa e nas Américas.


Nos nossos Rituais e outros documentos maçônicos vemos claramente a influência desses dois paradigmas. No Rito Escocês Antigo e Aceito vemos tanto influência da cabala, da astrologia, do misticismo medieval, da numerologia (paradigma renascentista), como do iluminismo (vejam nossos princípios expostos na Constituição do Grande Oriente do Brasil). Já no Rito Moderno há uma prevalência maior do paradigma iluminista, com acentuado tom racionalista, ou seja, a ideia de que o homem pode se emancipar através da razão e do saber.


Entretanto, alguns Irmãos e escritores maçônicos tomam partido de um ou outro paradigma como se o seu paradigma fosse o único, quando na realidade ambos tem forte influência na Moderna Maçonaria, desde o seu início no século XVIII.


É importante entendermos que nenhum Rito é totalmente hermético ou místico e nenhum Rito é totalmente racionalista. O Rito Escocês Antigo e Aceito tem muito do Paradigma Iluminista e o Rito Moderno tem algo do Paradigma Hermético.